Dep. comercial (11) 97398-0237 Atendimento

Perna Bamba Índio Gigante

Conhecendo e aprendendo sobre a doença ,tratamento e prevenção.

 

 A famosa e temida Perna bamba, é uma doença comum no Índio Gigante, onde a ave, a partir de um período da sua vida entre 4 a 12 meses aproximadamente não consegue mais ficar de pé, e se locomovendo e alimentando se sobre as pernas, dando a nítida percepção de fraqueza. 

Ela ocorre por diversos motivos citarei alguns dos principais:

1 - Alimentação incorreta de acordo com a idade e fase de vida da ave

O motivo por tal comportamento e desenvolvimento do problema é simples, as pernas do animal, não suportam o peso acima delas.

A junta da ave (Osso sesamóide hipotarsal) é ferida por não suportar o peso do corpo.

Originalmente, a ave tem crescimento lento, apesar do tamanho que atinge acima de 1 metro. A musculatura deve se desenvolver juntamente com a estrutura óssea, para que possa suporta o peso da ave e a ave possa se movimentar com desenvoltura.

As rações comerciais visam a uma conversão alimentar relativamente rápida, sem levar em conta as particularidades de outras raças não destinadas ao abate com 45 dias. Em um mês e meio de vida, o índio-gigante nem começou a se desenvolver e, para isso, terá outras necessidades nutritivas nem sempre encontradas apenas nas rações comerciais de postura ou de engorda.

2 – Verminoses – Alguns parasitas como nematoides e cestóides causam a perna bamba em aves.

3 – Ausência ou deficiência de vitamina E, Vitamina D e cálcio entre outros minerais, ocasionam a perna bamba.

4- Consanguinidade – Algumas linhagens de índio gigante são consanguíneas e quando cruzadas entre si, elas demonstram diversos problemas entre eles a perna bamba.

5 – Enfermidades – Algumas enfermidades como Marek podem ocasionar a perna bamba.

 O problema de pernas em frangos com crescimento precoce possui uma relação direta com o aumento do ganho de peso. O problema de pernas em frangos possui uma relação direta com o aumento do ganho de peso. De acordo com GOLIOMYTIS (2003), o ritmo do desenvolvimento muscular é o mais acelerado de todos os tecidos durante as primeiras semanas de idade. Também descrevem que a estrutura óssea de sustentação e de apoio (pernas e asas), bem como o coração e pulmões, não mantêm o mesmo ritmo do crescimento muscular.

Este desajuste no ritmo de crescimento tecidual dos frangos promove uma sobrecarga no aparelho cardio-respiratório e em toda a estrutura óssea destes animais, o que resulta no aparecimento da principal deformidade angular, a Discondroplasia Tibial (DT). Mas o excesso de peso apenas acelera e/ou cronifica um processo natural do frango, que é a demora na calcificação da matriz cartilaginosa dos ossos longos. 

Transmissão da doença de uma ave para outra.

Não é transmissível de uma ave para outra exceto em casos genéticos.

 

Identificando os sintomas da doença na ave:

• Anemia
• Peito Seco
• Ave Deitada
• Ave mancando
• Emagrecimento

• Aves estressadas
• Queda da imunidade
• Ave andando com dificuldade
• Diminuição da postura de ovo
• Impossibilidade da monta natural nos machos natural nos machos

 

Medidas a Serem Tomadas par evitar a doença novamente.

Alimentar com ração correta para a idade correspondente do Indio Gigante,ajustar a quantidade cálcio, vitaminas e minerais na ração.

 

Sugestões de tratamento para a ave doente.

1º Isolar fisicamente as aves doentes das demais aves saudáveis em local, baia ou gaiola específico para tratar aves doentes, com bebedouro e comedouro apenas para as doentes e ficar de olho nas outras aves saudáveis que estavam com ela, se alguma adoecer levar para a baia de quarentena.

2º Identificar os sintomas, para a partir dos sintomas podermos identificar a doença ou possíveis doenças associadas.

3º Após a identificação da doença partimos para o tratamento com medicação adequada para cada caso.

4º Medicamentos sugeridos de acordo com a bula:

 

Mais vistos